Assinaturas mutacionais

Data:

assinaturas-1

As pegadas das mutações no DNA

Você já ouviu falar de assinaturas mutacionais?

Sabemos que o DNA está sujeito a vários tipos de danos, tanto por agentes externos (como a luz UV do sol) ou por agentes endógenos (como espécies reativas de oxigênio - os famosos radicais livres). Esses danos podem acarretar mutações e o acúmulo delas pode levar ao desenvolvimento de tumores, por exemplo.

 

Mas você sabia que os agentes mutagênicos deixam pegadas específicas no DNA? Os agentes modificam o DNA de formas mais ou menos específicas, provocando a troca de uma determinada base em um determinado contexto de bases. Esse padrão (ou pegada) é chamado de assinatura mutacional, termo que ganhou muita força a partir de 2013 após o descobrimento e caracterização de várias assinaturas relacionadas ao processo de carcinogênese baseadas no sequenciamento de milhares de tumores.

 

A luz UV, por exemplo, provoca lesões no DNA do tipo dímeros de piridimina ciclobutano ou fotoprodutos 6-4. Esse tipo de lesão pode gerar trocas de citosinas por timinas quando há uma piridimina (citosina ou timina) na vizinhança. A exposição ao sol (para pegar aquela cor do verão) gera esse tipo de mutação, que vai se acumulando ao longo da vida e que pode dar início a um processo de carcinogênese e o surgimento de tumores de pele. 

 

As assinaturas mutacionais estão se tornando fundamentais no estudo de mutagênese e como biomarcadores podem revolucionar o diagnóstico, prevenção e tratamento de diversos tipos de câncer. 

 

Para saber mais:

Mutagênese @reparodedna

COSMIC Mutational Signatures

The repertoire of mutational signatures in human cancer

Whole-exome sequencing reveals the impact of UVA light mutagenesis in xeroderma pigmentosum variant human cells

 

Última atualização: Nov. 4, 2020, 5:56 p.m.

Posts Relacionados